A casa Grande de Romarigães

Aquilino Ribeiro

“Que chova, que faça um Sol radioso, com o mundo vegetal pletórico de seiva ou mais aganado, à triste planta humana é que nada a afasta da sua carreira para a morte. Será ela a obra-prima da Criação ou a pior de todas?”

Uma crónica romanceada de uma casa minhota que atravessa os séculos nos altos e baixos de herdeiros agarrados às preces e promessas à Nossa Senhora do Amparo.

Uma das mais importantes obras em portugûes do Séc. XX, um escritor brilhante (“obreiro das letras”, como se auto-intitulava) que faz música, intrincadas notas das palavras – verdadeiras pautas de prosa…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s